A

Apresentação

"O xamã, não se autoproclama. Ele é chamado para suas tarefas espirituais, passa por treinamentos, então é reconhecido pelas pessoas de sua comunidade."
Clique no Play e curta

Clique no Play e curta

21 de agosto de 2010

O que é um animal totem?



O que é um animal totem?

Os xamãs acreditam que é o espírito de todos os animais daquela espécie que possui uma ligação com o homem. Esse espírito é a ponte entre o homem e seus irmãos, os animais, dando-lhe força, poder e sabedoria natural. Cada espírito animal dá ao seu protegido humano qualidades específicas que caberá a cada um desenvolver. Vamos falar disso mais a frente, não preocupe-se.
O mais importante que você deve saber sobre o animal guardião é que, quando despertado, ele muda algo em você. Trabalhar com o animal totem é aprender a lidar com seu lado selvagem, arisco, pimitivo e intuitivo. Algumas pessoas se afastaram tanto de seu elo com a natureza que podem encarar isso como uma situação estranha, uma desagradável viagem para o meio do mato sem telefone. Como aqui falamos do xamanismo, você com certeza não deve ser um(a) urbano inveterado que morre se ver um mosquito ou uma aranha. Logo, não será problema trabalhar com esse lado seu que, provavelmente, pouca gente conhece.

Para que serve um animal guardião?

Então vamos lá!

É importantíssimo para você se conhecer melhor! Quando nos conhecemos, sabemos o que queremos e o que não queremos. Muita desarmonia acontece em nossas vidas porque insistimos em ser o que os outros querem ou esperam que sejamos. Perdemos a liberdade de sermos nós mesmos em função de nossos pais, avós, irmãos, amigos, vizinhos e colegas. Precisamos ser nós mesmos, ou não há chance de sermos felizes. Mas como fazer isso? Bom, há vários caminhos, a maioria bastante divertida (embora sempre haja locais escuros demais dentro de nós mesmos que nos assustam algumas vezes). Uma das maneiras de se conhecer é entrando em contato com o animal totem. Despertar o animal guardião permite um despertar de nosso lado mais oculto. É como se reaprendêssemos algo que já tínhamos esquecido faz tempo.

Auto defesa é uma delas

Um animal guardião é um excelente defensor em situações de perigo e tensão. Existem pessoas que usaram-os para espantar ladrões, e eles saíram correndo. Você pode usá-lo para intimidar um inimigo ou mesmo afastar animais hostis. Isso tudo no plano físico. No plano invisível, o animal totem pode atacar espíritos desagradáveis que estejam atrapalhando, seja você ou outra pessoa. Por exemplo, você percebe que o ambiente está pesado e que sua mãe está agressiva, acusando você ou outra pessoa de coisas sem sentido. Invoque seu animal guardião ( você vai ver como isso pode ser feito discreta e suavemente) e mande-o caçar o responsável invisível por essa tensão. Como estudante de magia, você já consegue discernir o físico do não-físico. Se uma pessoa explode do nada com você, você já pode sentir se ela teve um dia ruim ou se "algo mais" está acontecendo. No caso de influências invisíveis, seu animal guardião é tão útil quanto um pastor alemão bem treinado. 

Descobrindo seu animal totem

A primeira coisa que você deve ter em mente é que o animal guardião não é um símbolo de status ou glamour que você possa usar para dar pinta por aí. Não é você quem escolhe seu animal. É ele quem escolhe você. Em geral, seu animal totem já está em sua vida e você nem notou. Quando realizamos um ritual para despertar o animal guardião, ele aparece claramente para nós, mesmo que tenhamos outro animal em mente. Eu acreditava que meu animal era a águia e me surpreendi ao receber um lobo durante o ritual. Com o tempo, percebi que o lobo sempre esteve presente em minha vida, de formas práticas e mágicas e nunca me dei conta disso e muito menos dei bola para o coitadinho. Você só tem um animal guardião, mas pode trabalhar com outros animais. Na verdade, uma tríade de animais nos acompanha, tal qual na Astrologia Chinesa (poderemos falar dela futuramente). Mas não confunda. O animal guardião é um espírito animal que o acompanha. O animal da astrologia chinesa é um arquétipo, uma versão oriental da nossa astrologia e é um excelente instrumento para autoconhecimento e previsões, mas não é um espírito que te acompanha, é mais um jeito fácil de aprender sobre você mesmo e os outros e compreender as influências cósmicas sobre o homem, entendeu? Por enquanto, para sua cabeça não dar nó, vamos nos ater ao animal guardião. É ele quem vai atendê-lo quando precisar. Quando tiver feito contato com este animal, as portas se abrirão para que você faça contato com os outros. Com o tempo, você poderá comandar outros animais, de acordo com a afinidade e treinamento, é claro. Esses outros animais poderão realizar tarefas específicas, em rituais. Não se iluda. Não é fácil chegar nesse nível e, sinceramente, você nem deve esperar alcançá-lo em pouco tempo. É preciso ter muito treino e muita ligação com a natureza para comandar mais de um animal. O animal totem será sempre um animal silvestre. Se você ver no ritual de despertar um animal doméstico, significa que ainda precisa se conectar mais para trazer seu animal verdadeiro. O animal doméstico é na verdade, uma ponte para seu animal verdadeiro. Se você viu um gato, por exemplo, seu animal totem der ser um felino de grande porte, como um tigre, um jaguar ou uma pantera. Se você viu um cão, seu animal totem deve ser um lobo ou um coité. Talvez até uma raposa. Se isso acontecer com você não entre em pânico. É um aviso apenas para se soltar mais, pois anda tão travado que não consegue liberar seu lado selvagem. Despertar seu animal é dar as mãos para a natureza, é pular na cachoeira, correr pela floresta, saltar da montanha e acreditar que vai sobreviver porque a natureza faz parte de você e você faz parte dela. É um pacto, um comprometimento que pouca gente tá disposta a fazer. Aliás, parece que o grande medo das pessoas nos dias de hoje é se comprometer com alguma coisa, qualquer coisa!
Bem... agora é hora de por a mão na massa. Nesse momento vamos falar do método, ritual, de despertar ou conectar com seu animal guardião. São muitos os rituais, vou descrever aqui um para que você inicie com tranqüilidade.

Ritual de despertar com o espelho

Você vai precisar de:
Um espelho e uma vela branca.

Esse é um exercício simples de visualização do animal guardião. Se você já possui um espelho mágico (um espelho usado apenas para fins de mágicos), ótimo, mas se não tem, pode usar um espelho simples, mas dê uma boa limpeza nele antes. Use um pano embebido em álcool e depois passe água (a qual você deve purificar com uma simples imposição de mãos). Depois disso, junte seus dedos de júpiter e saturno da mão dominante (dedos indicador e maior de todos da mão com a qual você escreve), e desenhe um pentagrama lentamente, dizendo: “espelho sagrado, porta para outros mundos. Eu te consagro e te ordeno que só fales a verdade.”
Se não for realizar o ritual do animal totem nesse momento, cubra-o com um pano preto e não deixe ninguém usá-lo até que chegue o momento do ritual. O ritual pode se dar em qualquer momento, mas as energias da noite são sempre mais tranqüilas. Se você for do tipo madrugador, pode fazer isso nas primeiras horas da manhã. A melhor Lua é a cheia, que confere poder a todos os magos e magas e aos iniciantes do xamanismo, mas se não puder, realize-o em qualquer Lua, menos na minguante, que é mais difícil de trabalhar. Sente-se diante do espelho e deixe o local na penumbra. Tenha certeza que ninguém vá chamá-lo ou interromper neste período de tempo. Só dura alguns minutos. Em silêncio, respire profundamente sete vezes, ou até relaxar. Acenda a vela diante de você. A vela deve estar em um pires ou castiçal, para que a cera não derrame em sua mão, evitando assim que você perca a concentração. Depois de respirar profundamente, erga a vela até a altura do seu chakra do terceiro olho (fica entre seus olhos). Não olhe para a chama. Olhe para o espelho. No sentido horário, circule a vela diante do seu rosto, sempre com os olhos fixos no espelho retorne a chama para o terceiro olho e fixe a visão no espelho. Repita a operação até que possa ver alguma coisa. Quando tiver terminado, diga: “agradeço às entidades que atenderam meu chamado e ao meu animal totem. Em nome dos Deuses, encerro este ritual e fecho este local.” Bata palmas três vezes, devagar e diga: “esta operação está encerrada, a cortina foi fechada.” Boa trajetória e conexão com seu animal guardião. Se não fizer contato na primeira vez, continue tentando, é com a constância que irá descobrir.




Bibliografia:

O ritual na magia e no ocultismos, de Dolores Ashcroft-Nowicki, Editora Pensamento.
O espírito animal, de Léo Artese, Editora Roca.