A

Apresentação

"O xamã, não se autoproclama. Ele é chamado para suas tarefas espirituais, passa por treinamentos, então é reconhecido pelas pessoas de sua comunidade."
Clique no Play e curta

Clique no Play e curta

13 de abril de 2012

Ritos e símbolos

Os rituais e símbolos xamânicos representam uma das sagas mais fascinantes sobre como os seres humanos tentam relacionar-se com o sobrenatural para criar uma condição de saúde no sentido mais amplo. Meu objetivo, não é apresentar um compêndio da prática xamânica, pois isso já foi feito, e muito bem, por outros autores. Tentarei apenas resumir e dar alguns exemplos.


Podemos destacar sobre rituais e práticas xamânica quatro questões. A primeira, é que os rituais e símbolos de cura têm um significado muito diferente e, ainda assim, muito real, na realidade não-ordinária ou estado xamânico de consciência. A segunda questão é que muitos rituais e símbolos são culturalmente determinados e só falam às necessidades de uma população específica. A terceira é que há símbolos e rituais análogos em todas as parte do mundo, indicando uma espécie de inconsciente coletivo. Finalmente, e da maior importância, que embora esses instrumentos de trabalho não possam de modo algum ser separados ou subtraídos do conceito de xamanismo,
não são os instrumentos e rituais que curam, mas o poder a eles conferido pela imaginação.


Como os xamãs realizam seu trabalho de cura em um estado diverso do estado mental desperto, caracterizado pela onda cerebral beta e pelo pensamento linear, eles naturalmente devem adotar, em primeiro lugar, modos satisfatórios de sair dessa condição. Isso constitui propriamente o início do ritual de cura, embora a cena do ritual possa ter exigido vários dias de preparação. Virtualmente, tudo que foi usado para realizar um estado alterado de consciência provavelmente foi incluído em um ou outro ritual xamânico, sendo a maioria das técnicas meios para a hipo ou hiperestimulação dos vários sistemas sensoriais. Alguns exemplos incluem:


1. Condições de intensificação da temperatura. A Sauna Sagrada é um meio comumente usado para induzir um estado alterado de consciência. Uma cabana típica pode consistir em uma armação feita de ramos de salgueiro, coberta com uma lona encerada ou qualquer outro material pesado que retenha calor. Pedras são aquecidas durante horas em fogo alto e, no momento em que a prática vai começar, elas são colocadas no centro da cabana. Em geral, há um modo prescrito para entrar e sair da sauna, bem como canções e cantilenas de súplica, agradecimento e afirmação da conexão entre todos os aspectos materiais e imateriais do universo. O calor é aumentado periodicamente, jogando-se água sobre as pedras quentes. Ervas como a sálvia e uma espécie de erva-doce podem ser queimadas por seu aroma especial e significado sagrado.


Uma sauna, sem o ritual; é apenas quente; mas com o ritual, ela pode induzir um efeito sistêmico que envolve uma rápida aceleração dos batimentos cardíacos, náusea, tontura e até uma síncope (desmaio), sinais indicativos da condição que a medicina denomina insolação. Confesso, que por algumas vezes, eu me concentrei mais em sobreviver àquela provação do que em ter visões, mais em impedir que as lufadas de ar quente que eu inalava continuassem queimando minhas narinas, pulmões e cabelos. Mas na maioria das vezes me vi rodeado dos Ancestrais que compartilharam comigo ensinamentos e práticas de cura que eu desconhecia. Das dezenas de Sauna Sagrada que participei, sempre sai renovado. O ritual da sauna tem também um sólido alicerce nas tradições européias, e os escandinavos empregam-no há séculos para promover a saúde do corpo e da mente. É inquestionável que a reação fisiológica a um estímulo tão intenso é parcialmente função do aprendizado.


Do ponto de vista físico, há um componente bioquímico - das altas temperaturas corporais febris, que refletem a reação natural às toxinas - relacionado com o sistema imunológico em ação. As elevadas temperaturas da sauna, artificialmente provocadas, podem imitar essa atividade ou induzi-la (como em um exercício aeróbico prolongado). Além do mais, a sauna podem atuar como procedimento estetilizador, eliminando bactérias, vírus e outros organismos que proliferam à temperatura do corpo, mas sensíveis ao calor. O crescimento de tumores também pode ser inibido quando a temperatura normal do corpo é significativamente elevada. O calor aplicado em tumores vem constituindo um tratamento experimental para o câncer nos Estados Unidos e Canadá. Aparentemente, o calor não é apenas eficaz para determinar células cancerosas, mas também torna as células cancerosas sobreviventes mais vulneráveis à radiação e à quimioterapia. Em todo caso, tomar muita água e, em seguida, fazer sauna resulta em sensações desintoxicação e desanuviamento da mente. O próprio calor pode ajudar a criar um estado alterado de consciência e promove a intensa concentração necessária à cura.


Além de recursos externos como a sauna, a capacidade de autogerar calor interno é tipicamente relatada como necessária à cura xamânica. De acordo com um xamã esquimó, "todo xamã verdadeiro tem de sentir uma iluminação em seu corpo, no interior de sua cabeça ou em seu cérebro, algo que reluz como fogo, que lha dá o poder de ver com os olhos fechados na escuridão, nas coisas ocultas ou no futuro, ou nos segredos de outro homem". A concordância com essa premissa encontra-se também nos iogues tibetanos que declaram ter a mesma habilidade do xamã. Ao que se diz, os iogues são capazes de gerar um calor psíquico que os torna impermeáveis às temperaturas extremas, até mesmo a uma exposição prolongada à neve vestindo apenas uma camisa molhada com água gelada.


Com o intuito de criar esse estado especial, os iogues recorrem à imagem mental, que inclui visualizar o sol em várias partes de seus corpos e o mundo sendo impregnado pelo fogo. Dizem que, em virtude da prática desses exercícios por longo período, o iogue tem a capacidade de conhecer os eventos passados, presentes e futuros.


Ao que tudo indica, os iogues e os xamãs descobriam um meio de continuar indefinidamente a troca do calor, e isso significa que eles têm a capacidade de regenerar por muito tempo as substâncias químicas envolvidas. Só podemos concluir que há uma poderosa capacidade de auto-regular a resposta térmica e acrescentar que aqueles que envolvem com essas questões consideram o calor interior um caminho para o conhecimento.